Portes gratuitos em Portugal Continental para compras superiores a 200€
×
NOTÍCIAS JCR

Normas para Proteção Facial e Cabeça





Conheça a nossa gama de Bonés, Capacetes, Capuzes, Gorros, Óculos, Suportes, Toucas, Toucas Descartáveis e Viseiras.


Conheça os produtos que selecionámos para mitigar os riscos de Impacto e Perfuração, assim como os artigos especializados para a indústria da Soldadura.





QUE NORMAS EXISTEM PARA PROTEÇÃO DO CRÂNIO?



EN397 (Capacetes eletricamente isolantes para utilização em ambiente de baixa tensão)



Obrigatório

Impacto*: força transmitida à falsa cabeça não deve ser superior a 5 kN aquando da queda de um objeto de 5 kg de 1m de altura. A energia de choque no capacete no final do teste atinge 49 J.

Penetração*: a ponta da massa utilizada durante o teste (3 kg por 1m) não deve entrar em contacto com a cabeça.

Inflamabilidade: o capacete não deve queimar com emissão de chamas mais do que 5 seg. após a remoção da chama.

* Os testes de impacto e de penetração são realizados a temperatura ambiente, a +50°C e a -10°C.



Opcional

A temperaturas extremas: os testes de impacto e penetração são realizados à temperatura ambiente, +150°C, a -20°C ou -30°C.

Protege contra um contacto acidental de curta duração com um condutor elétrico sob tensão que pode atingir 440 VCA.

Protege contra a compressão lateral.

A deformação máxima do capacete deve ser = a 40 mm.

Resistência contra as projeções de metais em fusão.








EN14052 (Capacetes de elevado desempenho)



É específica para aplicações industriais: esta norma garante maior resistência contra impactos, incluindo impactos laterais, contra objetos cortantes e altas temperaturas.

Esta norma prevê o uso de jugular.




EN50365 (Capacetes com isolamento elétrico para utilização em ambientes de baixa tensão)



Obrigatório

Capacetes eletricamente isolantes para utilização em ou próximo de instalações sob tensão não ultrapassando 1000 VCA ou 1500 VCC (classe elétrica 0).

Utilizados simultaneamente com outros equipamentos de proteção eletricamente isolantes, estes capacetes impedem as correntes perigosas de atravessar as pessoas pela cabeça.

Estes testes opcionais de isolamento elétrico são mais constrangedores do que os da norma EN397, completando-os (marcação dos 2 triângulos, Classe 0).






ANSI/ISEA Z89.1 (American National Standards Institute) e CSA Z94.1-2005 (Canadá) Normas Norte-americanas para a proteção da cabeça em ambiente industrial.



Estas normas definem os tipos de capacetes (de acordo com o nível de proteção contra impactos) e as classes de proteção (que indicam o grau de desempenho elétrico).

Tipos de capacetes: Tipo I e Tipo II

Tipo I: abrange os capacetes resistentes a impactos que atinjam a parte superior da cabeça.

Tipo II: abrange os capacetes resistentes a impactos laterais ou na parte superior da cabeça.

De acordo com as normas americana e canadiana acima mencionadas, os capacetes são divididos em 3 classes de proteção: Classe C, Classe G e Classe E.

Classe C (condutor): diz respeito aos capacetes que não oferecem qualquer proteção elétrica. No entanto, estes capacetes proporcionam uma grande respirabilidade e ventilação.

Classe G (geral): abrange os capacetes mais comuns, que protegem de tensões até 2 200 volts.

Classe E (elétrico): abrange os capacetes que protegem da alta tensão, mais precisamente até 20 000 volts.






EN812 (Bonés anti-choque para a indústria)



Obrigatório

Impacto*: Este EPI protege contra impactos decorrentes de colisões contra as estruturas ou objetos. Não protege, de modo algum, contra o impacto que resulta da queda de um objeto. A energia de choque no capacete no final do teste atinge 12,25 J.

Penetração*: a ponta da massa utilizada durante o teste (0,5 kg por 0,5 m) não deve entrar em contacto com a cabeça.

* Os testes de impacto e de penetração são realizados a temperatura ambiente, a +50°C e a -10°C.

Não deve ser, em caso algum, substituída por um capacete de proteção para a indústria (EN397).

Opcional

A temperaturas extremas: os testes de impacto e penetração são realizados à temperatura ambiente a -20°C ou -30°C.

Protege contra um contacto acidental de curta duração com um condutor elétrico sob tensão que pode atingir 440 VCA.

Inflamabilidade: o capacete não deve queimar com emissão de chamas mais do que 5 seg. após a remoção da chama (marcação F).






SELEÇÃO DA COR DO CAPACETE – A JCR REFORÇA A RECOMENDAÇÃO DA APSEI












































Função Cor
Encarregados e chefes de equipa Branco
Pedreiros e cimenteiros Verde
Carpinteiros e montadores de cofragem Vermelho
Armadores de ferro e ferreiros Castanho
Canalizadores e eletricistas Azul
Serventes Amarelo
Manobradores de máquinas Laranja
Apontadores, medidores e ferramentistas Cinzento





QUE NORMAS EXISTEM PARA PROTEÇÃO OCULAR?


EN166



Aplicável a qualquer tipo de protetores individuais dos olhos contra os perigos suscetíveis de danificar os olhos com exceção das radiações de origem nuclear, dos raios X, das emissões laser e dos infravermelhos gerados por fontes a baixa temperatura. Não se aplica aos protetores dos olhos para os quais existem normas distintas (protetor dos olhos anti laser, óculos de sol de uso geral).



Marcações:

A: Impacto a alta energia: esfera de diâmetro de 6mm lançada a 190 m/s;

B: Impacto a alta energia: esfera de diâmetro de 6mm lançada a 120 m/s;

F: Impacto a baixa energia: esfera de diâmetro de 6mm lançada a 45 m/s;

K: Resistência à deterioração das superfícies por partículas finas;

N: Resistência ao embaciamento dos óculos;

S: Solidificação reforçada: esfera de diâmetro de 22mm lançada a 5.1 m/s;

T: Partículas lançadas a grande velocidade e a temperaturas extremas;

3: Resistência aos líquidos;

4: Resistência às grossas partículas de poeira;

5: Resistência ao gás e finas partículas de poeira;

8: Resistência ao arco elétrico de curto-circuito;

9: Resistência às projeções de metal fundido e sólidos quentes.






EN169



A norma EN169 fornece os números de escalonamento e as especificações de transmissão dos filtros destinados a garantir a proteção dos operadores que efetuam trabalhos de soldadura, de sobre-soldadura, de soldadura de arco e de corte por jato de plasma.

Os outros requisitos aplicáveis a este tipo de filtro constam da EN166. As especificações para os filtros de soldadura de escalonamento de proteção variável ou de duplo escalonamento são alvo da EN379.






EN170



Especificações dos números de escalão e dos requisitos relativos ao fator de transmissão dos filtros de proteção contra os raios ultravioletas.






EN172



Especificações dos números de escalão e dos requisitos relativos ao fator de transmissão dos filtros de proteção contra os raios solares, uso industrial.






EN175



Especifica os requisitos de segurança e os métodos de ensaio relativos aos equipamentos de proteção individual utilizados para proteger os olhos e a face do operador contra radiações óticas nocivas e contra outros riscos específicos devidos aos processos habituais de soldadura, corte e técnicas relacionadas.

Esta norma especifica a proteção, incluindo os aspetos ergonómicos, contra os riscos e perigos de natureza diferente:

Radiação;

Inflamabilidade;

Mecânicos;

Elétricos.

O equipamento está concebido para adaptar filtros de proteção, com ou sem lentes de guarda ou oculares de reforço, segundo as recomendações do fabricante de equipamentos de proteção para operações de soldadura, em conformidade com a EN166 e a EN169 ou a EN379.




EN379



Especificação dos requisitos dos filtros de soldadura automática, isto é, dos ecrãs de soldadura com variação automática do fator de transmissão. Esses ecrãs destinam-se a proteger os operadores em operações de soldadura e técnicas semelhantes.



EN1731



Especificações dos materiais, da conceção, do desempenho e dos métodos de teste para os protetores oculares e de rosto de tipo gradeado, de uso profissional.






ANSI (US American National Standards Institute) Z87.1-2003



Especificações dos requisitos gerais e mínimos, dos métodos de teste, de seleção, de utilização e de manutenção dos protetores oculares e do rosto.






GS-ET 29



Exigências, rendimento, métodos de prova relativas às viseiras, que asseguram uma proteção contra o arco elétrico.



JCR | Normas para Proteção Facial e Cabeça